Análise de Portugal #2 - ROH Final Battle review

Dalton Castle e Silas Young terminam ano como novos campeões do mundo e de TV


Data: 15 de dezembro de 2017
Arena: Hammerstein Ballroom
Localidade: Nova Iorque, Nova Iorque



Matt Taven vs. Will Ospreay
Começo a todo o gás dos dois lutadores, com voos para fora do ringue seguidos de algumas combinações e sequências a um ritmo frenético já no interior do squared circle. O público, esse, estava do lado do irrequieto e voador Will Ospreay.
Todo o arsenal de Ospreay é super entusiasmante, mas por vezes deixou-se levar por esse entusiasmo. Exemplo disso foi a forma como acabou por cair nas garras de Taven, que aproveitou uma oportunidade para aplicar o Climax que sentenciou o duelo.
Vencedor: Matt Taven
Nota: 6,5/10


The Addiction (Christopher Daniels e Frankie Kazarian) vs. War Machine (Hanson e Raymond Rowe)
Combate intenso, que começou com uma brawl ainda antes de a campainha soar. No culminar de uma contenda animada, os War Machine alcançaram a vitória após uma sequência de double teams.
Vencedores: War Machine (Hanson e Raymond Rowe)
Nota: 6/10


Jay Lethal vs. Marty Scurll
Combate que estava a ser vendido como grudge match, mas que não mostrou ter um cariz assim tão pessoal e agressivo. Houve mais desejo em vencer do que em infligir dor.
Numa fase em que ambos já mostravam algum cansaço, Lethal aplicou um Cutter da borda do ringue para a zona envolvente, num ato de algum desespero. O que é certo é que o ritmo começou a intensificar-se e os ânimos a aquecer, com árbitro no chão e algumas manobras menos lícitas por parte dos dois.
Scurll voltou a jogar sujo quando atingiu o adversário com um guarda-chuva sem que o adversário visse e logo a seguir aplicasse um Release Piledriver, mas Lethal resistiu e ripostou com um Lethal Injectionvitorioso.
Vencedor: Jay Lethal
Nota: 6,5/10


ROH World Tag Team Championship:
The Motor City Machine Guns (Alex Shelley e Chris Sabin) (c) vs. Best Friends (Beretta e Chuckie T.)
Combate entretido, como é apanágio dos que envolvem os Motor City Machine Guns. Ainda que sem o ritmo frenético de outras ocasiões, não faltaram boas combinações e golpes espetaculares. Chris Sabin acabou por dar a vitória à sua equipa através de um pin fall rápido e surpreendente.
Vencedores: The Motor City Machine Guns (Alex Shelley e Chris Sabin)
Nota: 6,5/10


Four-way elimination match pelo ROH World Television Championship:
Kenny King (c) vs. Punishment Martinez vs. Shane Taylor vs. Silas Young
Combate que iniciou com um ritmo muito morno, apenas com dois em ringue de cada vez, num estilo que me desagrada mas que é típico da ROH, com a necessidade de haver tags para se estar legal.
Em confronto, estiveram os pesos pesados Martínez e Taylor, o ágil Kenny King e o experiente Silas Young. E foi mesmo entre pesos pesados que se deu a primeira eliminação, com Martínez a afastar Taylor da decisão, perante um público bastante adormecido.
Os ânimos nas bancadas só aqueceram mesmo quando Silas Young eliminou Kenny King após o ter atingido com uma garrafa, garantindo a coroação de um novo campeão.
Para o final, sobraram Young e Martínez. O segundo esteve perto de vencer, mas Beer City Bruiser puxou Silas Young para fora do ringue enquanto este sofria um pin fall. Silas Young conseguiu dar a volta a um adversário mais poderoso e venceu após um Misery, conquistando o título.
Vencedor: Silas Young (novo campeão)
Nota: 6/10


New York Street Fight:
Bully Ray e Tommy Dreamer vs. The Briscoes (Jay Briscoe e Mark Briscoe)
Um dos combates da noite que os fãs mais esperavam ver, se não mesmo o combate que os fãs esperavam ver. Ainda a campainha não tinha soado e já o caos se instalava no interior e nas imediações do ringue.
Atendendo à estipulação e aos intervenientes, não faltaram objetos, o que já era de esperar. Cadeiras, kendo sticks, espadas do Star Wars, mesas, escadotes, raladores de queijo e um… lava-louça foram parte integrante do embate. Também não faltou sangue, com a cabeça de Bully Ray a abrir as hostilidades.
Bully Ray esteve perto de vencer após um Diving Splash em cima de Jay Briscoe plantado numa mesa, mas este conseguiu evitar que o pin fall chegasse ao fim. Como também no wrestling quem não vence arrisca-se a perder, os Briscoes trabalharam em equipa e, após um 3D e outro double team em Ray, acabaram por alcançar o triunfo.
Vencedores: The Briscoes (Jay Briscoe e Mark Briscoe)
Nota: 7/10


ROH World 6-Man Tag Team Championship:
The Hung Bucks (Adam Page, Matt Jackson e Nick Jackson) (c) vs. Dragon Lee, Flip Gordon e Titán
Combate repleto de ação veloz e furioso, embora por vezes um pouco espalhafatosa. Uma contenda de wrestling deve estar pré-programada, não pré-coreografada.
Ainda assim, um belíssimo espetáculo sem dúvida alguma, recheada de golpes inovadores de outros que não perdem a beleza com o passar dos anos, integrados num contexto que lhes confere alguma lógica.
Com este tipo de wrestlers, não se luta só pela lógica de chegar à vitória, mas sobretudo pela oportunidade de brilhar e proporcionar espetáculo. E seguindo essa ideia, os Hung Bucks chegaram ao triunfo após um double Indytaker que promete tornar-se viral.
Vencedores: The Hung Bucks (Adam Page, Matt Jackson e Nick Jackson)
Nota: 8/10


ROH World Championship:
Cody (c) vs. Dalton Castle
Mais uma defesa de título para (o oxigenado) Cody. Depois de um início algo atabalhoado, o campeão conseguiu plantar o adversário numa mesa. Ainda assim, foi o American Nightmare quem acabou a jorrar sangue.  
A dada altura, o árbitro Todd Sinclair vai ao tapete e Cody é preso numa submissão, acabando por desistir. Contudo, sem alguém para validar a desistência, o duelo continuou. Cody respondeu com o Cross Rhodes, mas o assentamento não passou da near fall.
Seguiu-se um Disaster Kick, mas Cody perdeu algum tempo e acabou por sofrer o Bang-A-Rang que lhe viria a ditar a derrota.
Vencedor: Dalton Castle (novo campeão)
Nota: 6/10



Nenhum comentário

Please enable / Bitte aktiviere JavaScript!
Veuillez activer / Por favor activa el Javascript!CLIQUE AQUI E CURTA A NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK