Análise de Portugal #5 - NJPW Wrestle Kingdom 12 review

Termina em derrota o primeiro combate de Chris Jericho fora da WWE em quase duas décadas


Data: 4 de janeiro de 2018
Arena: Tokyo Dome
Localidade: Tóquio, Japão



IWGP Junior Heavyweight Tag Team Championship:
Roppongi 3K (Sho e Yoh) (c) vs. The Young Bucks (Matt Jackson e Nick Jackson)
Depois de terem protagonizado alguns dos melhores combates da Ring Of Honor durante 2017, os Young Bucks iniciaram o novo ano em solo japonês.
Começo de combate entretido, mas algo coreografado, com os homens legais de cada equipa a fazerem exatamente os mesmos golpes, numa espécie de dança.
Perante o sempre silencioso público nipônico, Matt e Nick Jackson pareciam peixes fora de água, uma vez que habitualmente primam por uma grande interação com os fãs quando atuam na cena independente norte-americana.
Depois de os Young Bucks terem controlado as operações durante os primeiros minutos, os Roppongi 3K conseguiram o comeback, executando golpes de grande impacto, como joelhada e projeções dolorosas. Os Bucks voltaram à carga, aplicando alguns dos seus signatures moves, mas depressa tornaram a passar dificuldades.
A reta final foi emocionante, com ocasiões em que cada uma das equipas esteve perto da vitória. Depois de um Indytaker e de um Sharpshooter, Yoh acabou por desistir e permitir que os Young Bucks se sagrassem campeões pela sétima vez.
Vencedores: The Young Bucks (Matt Jackson e Nick Jackson) (novos campeões)
Nota: 6,5/10


Gauntlet match pelo NEVER Openweight 6-Man Tag Team Championship:
Bullet Club (Bad Luck Fale, Tama Tonga e Tanga Loa) (c) vs. Chaos (Beretta, Tomohiro Ishii e Toru Yano) vs. Michael Elgin e War Machine (Hanson e Raymond Rowe) vs. Suzuki-gun (Taichi, Takashi Iizuka e Zack Sabre Jr.) vs. Taguchi Japan (Juice Robinson, Ryusuke Taguchi e Togi Makabe)
Suzuki-gun frente a Michael Elgin e War Machine foi o duelo que abriu as hostilidades e pautou pela grande intensidade. Os War Machine estavam bem encaminhados para a vitória, mas os Suzuki-gun conseguiram distrair o árbitro, beneficiar de uma interferência exterior e eliminar os adversários, após uma submissão aplicada por Zack Sabre Jr.
Seguiram-se os Chaos, que não tardaram a instalar… o caos no ringue e na zona envolvente. De uma forma supersónica, eliminaram os Suzuki-gun na sequência de um golpe baixo de Toru Yano em Taichi.
A quarta equipa a entrar em ação foi os Taguchi Japan. Ryusuke Taguchi, que aparentemente está já a preparar-se para o Mundial de futebol, acusou o excesso de confiança e acabou por causar a derrota à sua equipa ao sofrer um pin fall rápido.
Por fim, entraram em cena os campeões. Tomohiro Ishii teve como missão derrubar o gigante Bad Luck Fale, e depois de muitas tentativas, conseguiu aplicar um épico Vertical Suplex. Esse aparentemente feito acabou por se traduzir em sol de pouca dura, pois os Bullet Club voltaram rapidamente ao controlo das operações. Ainda assim, foram os Chaos a alcançar o triunfo, depois de um Dudebuster.
Vencedores: Chaos (Beretta, Tomohiro Ishii e Toru Yano) (novos campeões)
Nota: 7/10


Cody vs. Kota Ibushi
Depois de ter saído da WWE, Cody vai mostrando nas promotoras independentes norte-americanas e no Japão o que a principal promotora mundial de wrestling desperdiçou: um excelente wrestler e uma personagem muitíssimo interessante e bem interpretada. O wrestling corre-lhe nas veias e sabe muito bem o que faz a cada momento.
Como in-ring general que é, o filho de Dusty Rhodes tentou manter o adversário no tapete, fazendo uso da sua matreirice e de alguns dos seus signatures, como o Disaster Kick e o Cross Rhodes. Esteve perto de vencer após um Super Hurricanrana, mas não passou da near fall.
Mesmo depois de massacrado, Kota Ibushi reagiu através de projeções impactantes e stiff kicks. Após ter-se desviado de um Disaster Kick, alcançou o triunfo depois de aplicar um Kamigoye [Double wrist-lock knee strike] e um Phoenix Splash [Corkscrew 450° Splash].
Vencedor: Kota Ibushi
Nota: 7,5/10


IWGP Tag Team Championship:
Killer Elite Squad (Davey Boy Smith Jr. e Lance Archer) (c) vs. Los Ingobernables de Japon (Evil e Sanada)
Arranque a todo o gás, com os Killer Elite Squad a executarem um Killer Bomb, mas sem conseguirem terminar logo aí o combate. Os dois gigantes, ambos ex-WWE, dominaram durante largos minutos.
Só com a entrada de Evil é que Los Ingobernables de Japon ganharam ímpeto. Evil deu conta de Davey Boy Smith Jr. e, após algumas instâncias, é que conseguiu derrubar Lance Archer através de um Lariat. Pouco depois, foi Sanada a reentrar com frescura física, mostrando grande agilidade para evitar golpes adversários, ainda que tenha acabado por cair nas garras de Smith e Archer.
Os Killer Elite Squad estiveram pertíssimo do triunfo após um Killer Bomb, mas Sanada fez com que essa situação não tivesse passado de near fall e deu a vitória à sua equipa após um Moonsault no filho do British Bulldog, conquistando assim os títulos de tag team.
VencedoresLos Ingobernables de Japon (Evil e Sanada) (novos campeões)
Nota: 7,5/10


Hair vs. hair no time limit deathmatch pelo NEVER Openweight Championship:
Minoru Suzuki (c) vs. Hirooki Goto
Duelo que começou com uma troca de murros muito stiff, ao bom estilo japonês. Suzuki conseguiu colocar Goto a dormir muito cedo, através de um estrangulamento junto a um dos cantos, mas quis infligir ainda mais dor no adversário.
Sempre numa toada muito dura no que concerne a socos, pontapés e chapadas, Goto foi soltando as amarras e conseguindo responder, aplicando alguns golpes impactantes. Por fim, chegou à vitória após um GTR [Spinning headlock lariat into a Backbreaker].
Vencedor: Hirooki Goto (novo campeão)
Nota: 7,5/10


IWGP Junior Heavyweight Championship:
Marty Scurll (c) vs. Hiromu Takahashi vs. Kushida vs. Will Ospreay
O campeão Marty Scurll começou por sair do ringue e deixar que os outros três se digladiassem num combate marcado pelo confronto entre quatro lutadores muito talentosos, ágeis e com apetência para voar.
Num grande spot, Will Ospreay subiu a uma torre e mergulhou sobre os oponentes em forma de Moonsault. Pouco depois, Scurll e Kushida prendiam Ospreay e Takahashi em submissões ao mesmo tempo, o que obrigou o campeão a soltar a chave para impedir que Kushida conseguisse a vitória.
A partir daí, o caos instalou-se, com corpos a voar pelo ringue, ataques a surgirem de todos os lados e muita incerteza em relação ao vencedor. Scurll esteve muito perto de reter o título por pin fall sobre Ospreay, mas nem um Neckbreaker nem um OsCutter lhe deram o triunfo.
Mais tarde, com o campeão caído fora do ringue, Kushida esteve muito perto de vencer através de um Cross Armbreaker, mas Will Ospreay resistiu à tentação de desistir. Desesperado, Scurll utilizou farinha para cegar Kushida e aplicar-lhe um golpe final, mas foi o nipónico que quase o derrotou.
Seguiu-se o ressurgimento de Takahashi, que apareceu com muito ímpeto na reta final. Entretanto, o japonês acalmou e o perigo de haver uma decisão voltou a surgir de todas as partes. Takahashi teve Ospreay arrumado e quase que o derrotou, mas Marty Scurll impediu o pin fall e atingiu Takahashi e Kushida com um guarda-chuva. Só não conseguiu acertar em Ospreay, que evitou o objeto e executou o OsCutter que lhe valeu a conquista do título.
Vencedor: Will Ospreay (novo campeão)
Nota: 9/10


IWGP Intercontinental Championship:
Hiroshi Tanahashi (c) vs. Jay White
Depois de toda a ação aérea do combate anterior, este pautou pelo chain wrestling. Com o passar dos minutos, foi aumentando a intensidade e o impacto dos golpes aplicados.
Jay White esteve pertíssimo de vencer após uma série de cotoveladas e de um Kiwi Krusher, mas não passou da near fall. Acabou por vencer Tanahashi, depois de um Cross Body nas costas de White e de um Frog Splash certeiro.
Vencedor: Hiroshi Tanahashi
Nota: 6/10


Combate sem desqualificações pelo IWGP United States Heavyweight Championship:
Kenny Omega (c) vs. Chris Jericho
O combate mais esperado do evento e o primeiro de Chris Jericho fora da égide da WWE em quase duas décadas. Um autêntico grudge match que começou com uma violenta troca de socos.
Depois de um voo para fora do ringue, Chris Jericho prendeu um membro do entourage de Kenny Omega num Walls Of Jericho. A partir daí, foram introduzidos os primeiros objetos, no caso de cadeiras e mesas.
De volta ao ringue, Y2J atingiu o joelho operado de Omega com o seu habitual Triangle Dropkick, deixando o campeão bastante queixoso. Depois, tentou arrumar o adversário através de um Powerbomb numa mesa, mas face à resistência de Omega, o golpe teve de ser aplicado para cima dos tapetes existentes fora do ringue.
A contenda continuou no ringue, com projeções de alto impacto e a utilização de vários objetos. A dada altura, Omega atinge Y2J com uma cadeirada e em seguida com um joelho, fazendo o canadiano cair do topo de um dos cantos para cima de uma mesa que estava montada fora do ringue.
Omega continuou a dominar e esteve perto de vencer depois de uma joelhada e de um Double Underhook Piledriver, mas Jericho não permitiu que o assentamento chegasse ao três e ainda viria a ripostar pouco depois através de um Walls Of Jericho.
Omega não desistiu, voltou à carga com as suas joelhadas potentes e um One-Winged Angel [Electric Chair Driver], mas Y2J levou uma mão às cordas durante o pin fall. Depois de golpes de parte a parte, Jericho conseguiu o Codebreaker, mas o finisher não lhe deu a vitória.
Frustrado, Jericho colocou uma cadeira em cima do corpo de Omega e procurou o Lionsault, mas o campeão arremessou-lhe o objeto e executou um vitorioso One-Winged Angel sobre a tal cadeira.
Vencedor: Kenny Omega
Nota: 8,5/10


IWGP Heavyweight Championship:
Kazuchika Okada (c) vs. Tetsuya Naito
Início de combate marcado por sequências a um ritmo elevado e pelas provocações de Tetsuya Naito, que se estava a revelar mais rápido e astuto do que o campeão. O excesso de confiança custou-lhe caro: Okada atingiu-o com um Dropkick que o derrubou do topo de um dos cantos e o fez cair fora do ringue.
Após um período de algum equilíbrio, Okada esteve no controlo das operações durante largos minutos, neutralizando o adversário com strikes, projeções e submissões. Depois foi a vez de Naito ripostar, arriscando ao aplicar alguns dos seus golpes mais impactantes, como um Reverse Super Hurricanrana.
Seguiu-se nova fase marcada pelo equilíbrio, de parada e resposta. Okada esteve perto de arrumar a questão com um violento Lariat, mas não foi além da near fall. Tentou arranjar outro golpe para lhe dar a vitória, mas Naito contrariou com um Destino [Somersault reverse DDT].
O filme repetiu-se na fase final. Okada aplicou o Lariat e Naito o Destino, mas nenhum conseguiu o triunfo nessas ocasiões. Okada avançou para um Tombstone Piledriver, mas Naito respondeu com um Destino. Contudo, quando Naito se preparava para um segundo Destino, Okada voltou a executar um Tombstone, rematando com mais um violento Lariat, seguido do assentamento vitorioso.
Vencedor: Kazuchika Okada
Nota: 8,5/10







Nenhum comentário

Please enable / Bitte aktiviere JavaScript!
Veuillez activer / Por favor activa el Javascript!CLIQUE AQUI E CURTA A NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK